Mãe_de_segunda_viagem

Preparando a criança mais velha para a chegada do irmãozinho: 5 sugestões

O positivo chegou e agora a família vai aumentar. Uma felicidade enorme, na maioria das vezes. E também um momento de inquietação e dúvidas sobre como conduzir o processo com a criança mais velha. Pensando nisso, preparei este post com cinco dicas para os pais.

1. Contem, com linguagem de acordo com a fase da criança.

A sugestão é que os pais contem ao filho sobre a chegada do irmão, o quanto antes possível. Não precisa de ser uma narrativa longa nem fantasiosa, muito pelo contrário: pode ser simples e de acordo com a idade da criança mais velha. Alguns pais sentem dificuldade em fazer isso e acabam postergando. No entanto, adiar pode tornar o momento mais complicado se por acaso a criança fica sabendo da gravidez por outras pessoas ou se escuta os pais falando sobre isso.

2. Evitem criar expectativas na criança mais velha.

Muitos pais (se não todos), sonham que os filhos serão amigos e se darão bem, mas isso não é algo que se possa prever. Em crianças pequenas, por exemplo, dizer que o irmão será um amiguinho pode produzir a expectativa irrealista de que o bebê, tão logo que nascer, poderá interagir e brincar. Quando a criança mais velha se depara com uma realidade muito diferente da expectativa, a frustração pode ser enorme. Neste caso, também vale dizer que no começo o bebê não brincará (os pais podem, inclusive, mostrar fotos e vídeos de quando a criança mais velha era bebê).

3. Antes da chegada do bebê, reservem um tempo exclusivo para a criança mais velha.

Uma vez que a chegada do bebê será uma mudança para toda a família, manter alguns pequenos hábitos relativamente estáveis ao longo do tempo pode produzir uma sensação de estabilidade e continuidade. O ideal é que este hábito seja iniciado com a criança mais velha antes do nascimento do bebê e que possa ser mantido depois da chegada dele. Pode ser uma hora passeando só com a mãe, um banho mais demorado, um momento de colo e história, ou outra atividade que faça sentido para vocês.

4. Dispensem comentários do tipo: “Vai perder o reinado”, “Coitadinho, vai sofrer”.

Como escrevi acima, será uma mudança bastante significativa e com potencial de produzir desconforto e inquietações. O mundo que a criança mais velha conhece se transformará e isso pode produzir bastante ansiedade. Podemos, então, substituir essas frases acima por atitudes empáticas de apoio, acolhimento e encorajamento à criança.

5. Envolvam o filho mais velho nos preparativos para a chegada do mais novo.

Mesmo que muita coisa possa fugir do controle (de todos), algumas podem ser controladas. Uma delas são os preparativos para a chegada do bebê. Convidem a criança mais velha para participar, descrevendo o que vai acontecer e incentivando seu envolvimento e seus comentários sobre esta etapa.

Lembrete

A chegada de um novo bebê à família é um momento especial e, ao mesmo tempo, de transformação. Neste processo, podem surgir dúvidas, inquietações e sentimentos variados. Se sentir necessidade, busque ajuda profissional para que você e sua família possam passar por esta fase da maneira mais leve possível.

Sobre este post

O texto original foi escrito por Ana Carolina Braz (Maternar mais leve ®). Todos os direitos reservados. Se usar o conteúdo, coloque a referência. Imagens: banco de imagens do Canva.

Comentários

Cadastre-se e receba materiais gratuitos que contribuirão para um maternar com mais leveza e menos culpa.

  • Siga o Maternar mais Leve no Instagram

    Ajudo mães a descomplicarem a maternidade.
    Mais leveza e menos culpa.

    Ir para o Instagram

  • LYMP Design