grávida_perfeccionista

4 coisas sobre o perfeccionismo que toda mãe deve saber

No post anterior, escrevi sobre o primeiro trimestre de gravidez e mencionei a variedade de pensamentos e de sentimentos que as mães (e os pais) podem passar nesta fase. É também neste momento que o perfeccionismo (já existente em outras áreas) também pode aparecer, por isso que quanto antes tivermos consciência dele, mais podemos pensar em estratégias caso ele surja. Portanto, pensando nisso e na importância de se abordar o tema o quanto antes, preparei este post. Vamos lá?

1. Um lado da moeda

O perfeccionismo pode se apresentar na forma de maior organização, atenção aos detalhes, tendência para aumentar e melhorar o sucesso de nossas ações. E, desse modo, produzir sentimentos de satisfação com nossos esforços.

2. O outro lado da moeda

No entanto, estar permanentemente focada na perfeição, pode levar a preocupações com o erro (que passa a ser evitado a qualquer custo) e com um desempenho que nunca satisfaz, produzindo sofrimento e sobrecarga para a mãe e distanciamento dos filhos, do companheiro e de outros relacionamentos importantes.

3. Perfeccionismo na gravidez

O perfeccionismo não acontece exclusivamente na maternidade, embora possa aumentar bastante com a chegada dos filhos. Uma vez que durante a gestação ocorrem mudanças físicas, hormonais, psicológicas e sociais, com potenciais riscos para a saúde física, mental e o bem-estar materno (falei mais sobre isto neste post aqui e também neste aqui), abordar o perfeccionismo neste momento pode auxiliar na tomada de consciência e na seleção de estratégias de prevenção e enfrentamento.

Especificamante durante o período gestacional (mas não apenas nesta fase), muitas expectativas são criadas em relação à maternidade (gestação, parto, amamentação), parentalidade e ao bebê (aparência, padrões de comportamento), contexto em que o perfeccionismo pode se caracterizar pelo foco excessivo nestas expectativas, no esforço incessante de passar uma boa impressão e na sensibilidade às críticas que vêm de fora.

4. Perfeccionismo no maternar (e na parentalidade)

A gestação não é o único momento em que o perfeccionismo pode aparecer, tampouco apenas a mãe pode apresentar padrões perfeccionistas (leia este post aqui sobre o casal e a gravidez). A percepção de que o erro é sinônimo de fracasso, e que portanto deve ser evitado a qualquer custo, pode, por um lado, levar a padrões cada vez mais elevados de exigência – que quando atingidos são elevados mais um pouco –, e por outro, levar à culpa, à autocrítica, à insatisfação, à percepção de que não se é boa mãe/bom pai e ao distanciamento dos filhos.

Lembrete:

Seu valor enquanto mãe depende do seu desempenho e dos resultados que obtém com seus filhos.

Sobre este post

O texto original foi escrito por Ana Carolina Braz (Maternar mais leve ®). Todos os direitos reservados. Se usar o conteúdo, cite a referência. Imagem: Banco de imagens do Canva.

Comentários

Cadastre-se e receba materiais gratuitos que contribuirão para um maternar com mais leveza e menos culpa.

  • Siga o Maternar mais Leve no Instagram

    Ajudo mães a descomplicarem a maternidade.
    Mais leveza e menos culpa.

    Ir para o Instagram

  • LYMP Design