Imagem para post Casal e gravidez

Esperando juntos: quatro coisas sobre as quais todo casal precisa conversar

No post anterior, escrevi sobre a importância de se ajudar a criança mais velha para a chegada do bebê (se ainda não leu, veja aqui). Outro ponto super importante durante a gestação é a vida a dois, mais especificamente, sobre o que o casal precisa conversar enquanto espera – até porque após o nascimento serão tantas as demandas e ajustes na rotina que as oportunidades de conversa e contato podem se reduzir. Neste post, sugiro quatro temas para o casal conversar antes do bebê nascer.

1. Conversem sobre o que cada um está pensando e sentindo.

A possibilidade de engravidar, as suas tentativas bem como a sua posterior confirmação – e toda as mudanças que virão a seguir – podem produzir uma variedade de pensamentos e sentimentos. Conversar sobre isso com o(a) outro(a), pode ajudar bastante na proximidade para o casal, fortalecendo o relacionamento.

2. Contem sobre como cada um vê o relacionamento.

A relação de vocês irá mudar com a chegada do bebê – é fato – e isso não necessariamente precisa de ser motivo de medo ou receios. Será diferente, é verdade, e exatamente por isso ter a oportunidade de conversar com o(a) outro(a) antecipadamente pode ajudar a identificar o que já está bom e o que precisa de ser cuidado. Uma comunicação mais aberta ajuda bastante na redução de conflitos.

3. Compartilhem suas visões, desejos e expectativas relacionadas à chegada do bebê e à criação de filhos.

Ao longo da vida, vamos adquirindo referências, modelos e opiniões sobre maternidade, paternidade e criação de filhos. Na maioria das vezes, há muitas divergências entre essas visões. Supor que o(a) outro(a) concorda consigo pode ser uma fonte de frustração e de conflito para o casal quando a realidade se mostra diferente. Portanto, enquanto esperam conversem sobre o que pensam sobre parto, sobre o papel de cada um, como esperam que o filho será, como acham que será amamentação, introdução alimentar, desfralde, sono do bebê, aspectos de criação e disciplina das crianças. Quando vocês conversam sobre isso, além de verbalizarem sobre o que realmente pensam, vocês se alinham e isto os fortalece para os eventuais palpites vindos de outros familiares.

4. Decidam junto sobre possíveis pontos de estresse: questões financeiras, organização de tempo e divisão de tarefas.

Não deixem para descobrir como será só depois de acontecer, pois com a chegada de um novo membro à família, vocês terão muitas tarefas e adaptações, que também podem ser muito estressantes por si só. Questões financeiras, organização de tempo e divisão de tarefas costumam ser fontes adicionais de estresse, mas que se olhados com antecedência podem ser evitados. Conversem abertamente sobre reserva financeira, sobre como será a contribuição de cada um, qual a estimativa de gastos, como gostariam de organizar o tempo e como se dispõe a colaborar na divisão de tarefas.

Lembrete

Haverá muitas situações em que vocês terão pouco ou nenhum controle, mas há outras em que esse controle é possível. A comunicação entre o casal é um desses exemplos em que existe algum tipo de controle. Encarem o período da espera como oportunidade para conversarem sobre o que estão pensando e sentindo, o que os preocupa, o que os alegra e como gostariam de fazer após a chegada do bebê. Cuidar da relação do casal pode ter impactos muito importantes para a saúde mental materna (leia mais sobre o tema neste post aqui) e paterna (veja este post aqui. Caso sintam necessidade, vocês podem e devem buscar ajuda profissional.

Sobre este post

O texto original foi escrito por Ana Carolina Braz (Maternar mais leve ®). Todos os direitos reservados. Se usar o conteúdo, cite a referência. Imagem: Banco de imagens do Canva.

Comentários

Cadastre-se e receba materiais gratuitos que contribuirão para um maternar com mais leveza e menos culpa.

  • Siga o Maternar mais Leve no Instagram

    Ajudo mães a descomplicarem a maternidade.
    Mais leveza e menos culpa.

    Ir para o Instagram

  • LYMP Design