5 coisas pouco óbvias sobre o enxoval e a bolsa da maternidade

Geralmente o terceiro trimestre da gestação, que começa na 27ª semana de gestação, é o momento em que se começa a arrumar o enxoval e a bolsa da maternidade. Se a maternidade tem muita coisa que não podemos controlar, há aquelas que podemos e o enxoval e a bolsa são dessas coisas. Neste post, compartilho cinco coisas pouco óbvias sobre os dois.

1. Não existe regra certa.

Se você procurou na internet, provavelmente já notou que as listas variam muito. Dependendo da estação do ano em que o bebê nasce, do que você define como necessário, do quanto está disposta a gastar. Afinal, são muitos os fatores que influenciam. Antes de sair comprando coisas com base nas listas, pare e pense: (1) o que tem a ver consigo e com seu estilo de vida, (2) quais as temperaturas esperadas quando o bebê nascer, (3) se você terá quem a possa ajudar? Por exemplo, se a sua rede de apoio é pequena, talvez valha a pena ter uma lista com itens mais práticos, fáceis de lavar e de manusear, que não acumulem pó.

2. Pergunte, pesquise e pense.

Se estiver difícil definir os itens para a bolsa de maternidade, procure, por exemplo, a lista sugerida pelo hospital/casa de parto onde você terá o bebê. Caso conheça alguém que já teve bebê por lá, converse com essas pessoas e pergunte se elas utilizaram o que estava na lista. Então, também vale aplicar a regra do item 1: conheça-se e veja se aqueles itens fazem sentido para você. Possivelmente, algumas maternidades sugerem a chupeta na lista, então se por acaso você já decidiu que não vai utilizar chupeta, pode optar por retirar esse item da SUA lista.

3. Não precisa comprar tudo de uma vez.

Quando você compra os itens, você ainda não sabe como será a rotina e a dinâmica de vocês, tampouco como será o seu bebê. Uma vez que há características que você só saberá após seu nascimento, como, por exemplo, se ele terá alguma sensibilidade maior ao calor ou ao frio, se será alérgico a algo. Assim, a sugestão é comprar o que precisa para os primeiros meses (dois ou três, no máximo). A partir do que for conhecendo sobre o seu bebê e a vida com ele, você vai comprando mais. Isso vale tanto para quem estoca fraldas e depois descobre que a criança é alérgica às fraldas daquela marca, quanto para quem investe bastante em fraldas de pano e descobre na prática que não se adapta a elas. Independente de qual seja a sua escolha, comece aos poucos, teste para ver se funciona para vocês.

4. Faça a lista com antecedência.

Nunca se sabe quando o dia P poderá chegar, mesmo se você optou por uma cesárea eletiva isso não garante 100% de certeza sobre como será. Portanto, comece a listar, primeiro o que acha que deve ter, depois vá anotando o que já tem. Isso ajuda a utilizar seu dinheiro de maneira bastante consciente. Depois de tudo listado e providenciado, vem a fase da limpeza. Então, opte por produtos suaves e anti-alérgicos. Ah! Como você também importa, cuide com carinho da sua lista também, colocando pijamas de que você goste, aqueles produtos que a deixam ainda mais bonita e confortável. Lembre-se de que o autocuidado começa desde cedo.

5. Informe-se.

Se tem um item “não-material” que é super importante é a informação. Já escrevi bastante sobre ele e volto porque acredito que informação (de qualidade e de fonte confiável, baseada em evidências científicas recentes) nunca é demais. Dessa forma, converse e informe-se sobre o parto, sobre o hospital, para alinhar as suas expectativas às realidades possíveis. Portanto, peça referências à equipe que a atende de livros e filmes (documentários) que possam ajudar. Adicionalmente, encontre a sua “escritora sobre maternidade” com quem você mais se identifica. Assim você poderá encontrar uma excelente companhia para as horas no hospital,  as madrugadas com o bebê e todos os momentos em que você achar que certas coisas só acontecem consigo.

Você sabia?

Preparei uma checklist gratuita sobre coisas que você Já pode fazer para encontrar leveza na gravidez. Se você ainda não a tem, clique AQUI para receber a sua gratuitamente.

Sobre este post

O texto original foi escrito por Ana Carolina Braz (Maternar mais leve ®). Todos os direitos reservados. Se usar o conteúdo, cite a referência. Imagem: Banco de imagens do Canva.

Comentários

Cadastre-se e receba materiais gratuitos que contribuirão para um maternar com mais leveza e menos culpa.

  • Siga o Maternar mais Leve no Instagram

    Ajudo mães a descomplicarem a maternidade.
    Mais leveza e menos culpa.

    Ir para o Instagram

  • LYMP Design