Medos frequentes na gravidez

5 medos que você pode sentir na gravidez

Voltando à programação sobre gravidez, este post é sobre os medos mais frequentes que as mães podem ter durante a gestação. É bastante comum que, em algum momento do maternar, as mães tenham pensamentos assustadores e isso vale tanto para mães com e as sem diagnóstico de depressão ou ansiedade. Maternar é passar por mudanças transformadoras na vida, muitas delas sem controle nem garantias. Aqui vão os cinco medos mais frequentes.

1. Medos sobre a gestação

Frequentemente, há gestantes que sentem o receio de que algo ruim aconteça durante a gravidez, como, por exemplo, perdas gestacionais ou situações de risco. É, de certo modo, compreensível, afinal muito está fora do controle e isto pode ser bastante desconfortável. No entanto, há o que está sob controle, como, por exemplo: fazer um acompanhamento pré-natal, seguir as recomendações feitas pela equipe de saúde e compartilhar com seu/sua obstetra os receios e as dúvidas – não é preciso sentir vergonha de perguntar, tirar dúvidas (acredite: eles já estão acostumados!), nem de falar sobre o que está sentindo. Neste post aqui também falo sobre o assunto.

2. Medos sobre a saúde do bebê

Adicionalmente, é relativamente comum o medo de que aconteça algo ao bebê, de que ele não esteja saudável ou de que algum cuidado da parte da mãe não foi suficiente ou que a mãe fez algo que possa prejudicar o bebê. Assim como no tópico acima, aqui também há muito que não se controla, mas há alguns comportamentos que estão ao seu alcance (fazer o acompanhamento pré-natal corretamente, estar com exames em dia, seguir recomendações específicas que lhe tenham sido passadas) e entender que esses sentimentos podem surgir, adotando uma postura de compreensão e de acolhimento consigo (e não de julgamento ou crítica).

3. Medo do parto

Para muitas grávidas, uma terceira fonte de medo é o parto. Mais especificamente, não saber como o parto será e como ele acontecerá. Para isso, é importante conversar com a equipe que a acompanha, buscar informações preparadas por especialistas e fundamentadas em evidências científicas. Como no medo sobre a gravidez e sobre a saúde do bebê, aqui também vale considerar de que não é possível controlar tudo. Lembre-se de que o melhor parto é o parto possível, com mãe e bebê em segurança.

4. Medo das mudanças na vida a 2

Inevitavelmente a vida de vocês mudará. Mesmo não sendo possível prever como será (o que pode gerar muita ansiedade), vocês podem se preparar e antecipar alguns cenários. Neste post aqui, sugiro alguns assuntos que o casal pode conversar enquanto espera.

5. Medo de não saber cuidar do bebê

Para as mães de primeira viagem, é relativamente comum ter medo de não saber amamentar, dar banho, carregar o bebê. Há, inclusive, quem tenha medo de derrubar o bebê. Ainda há quem tema não saber educar uma criança. Já as mães de segunda viagem podem sentir medo sobre como será ter mais de uma criança aos seus cuidados, como  a criança mais velha poderá reagir. Caso já tenha mais filhos, recomendo este post aqui.

Lembrete

Caso esteja muito difícil conviver com o medo, busque ajuda profissional. Grupos de pré-parto (acompanhados por profissionais de saúde materna) ou atendimento individual podem ser boas alternativas para conversar e encontrar soluções para lidar com o medo.

Você sabia?

Preparei uma checklist gratuita sobre coisas que você Já pode fazer para encontrar leveza na gravidez. Clique AQUI para receber a sua gratuitamente.

Sobre este post

O texto original foi escrito por Ana Carolina Braz (Maternar mais leve ®). Todos os direitos reservados. Se usar o conteúdo, cite a referência. Imagem: Banco de imagens do Canva.

Comentários

Cadastre-se e receba materiais gratuitos que contribuirão para um maternar com mais leveza e menos culpa.

  • Siga o Maternar mais Leve no Instagram

    Ajudo mães a descomplicarem a maternidade.
    Mais leveza e menos culpa.

    Ir para o Instagram

  • LYMP Design